Casamento

 

De acordo com o que consta na Wikipédia 

 "casamento ou matrimônio é o vínculo estabelecido entre duas pessoas mediante o reconhecimento governamental, religioso ou social e que pressupõe uma relação interpessoal de intimidade, cuja representação arquetípica são as relações sexuais".

Muitas pessoas entram para o casamento achando que é simplesmente uma formalidade, ou que tudo estará resolvido com a oficialização do mesmo diante de um padre, rabino, pastor ou oficial do registro civil.

No entanto ao observarmos os casais que formam a nossa sociedade, veremos que é muito mais do que isso. O mais interessante nessa observação é que vemos que a receita já existe a milhares de anos, dada pelo criador do casamento, e as pessoas insistem em ignorar. A Bíblia traz logo no seu início um modelo de relacionamento que funciona se for seguido conforme explicitado. Vejamos...

Em Gênesis 2:24 "Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se uniá à sua mulher, e eles se tornarão uma só carne", Deus deixa claro o que é, e como deve ser o casamento.

Alguns aspectos importantes devemos ter em mente ao falarmos sobre os diversos assuntos relacionados a esse "vínculo estabelecido entre duas pessoas". São eles:

Compromisso;

"Deixar", independência dos pais;

União;

Unicidade.

Sem o descrito no texto de Gênesis, citado acima, não existe casamento. O máximo serão duas pessoas convivendo(1).

 

Compromisso

O hedonismo (do grego hedone que significa prazer) é uma teoria ou doutrina filosófico-moral que afirma ser o prazer individual e imediato o supremo bem da vida humana. Parece que essa é a base filosófico-moral da nossa sociedade. Conseqüência disso são relacionamentos, nas mais diversas áreas da nossa vida, sem compromisso. Isso fica evidente quando vemos casamentos se desfazendo com mais freqüência por motivos fúteis.

Onde podemos nos apoiar para aprender a desenvolver um comprometimento duradouro, total e permanente? Jaime Kemp foi muito feliz ao descrever essa possibilidade em seu livro "A Arte de Permanecer Casado", em cinco pontos.

Arcar com as decisões e atitudes tomadas
A dignidade humana também se baseia na responsabilidade assumida em relação às próprias ações e atitudes. Prestar contas a alguém do que se faz e fala não é tarefa fácil, mas é um ótimo exercício para o desenvolvimento do caráter.

Felicidade - não pode ser o alvo principal
Quando os compromissos de lealdade, fidelidade, etc. feitos no casamento, são colocados como prioridade, a felicidade é um subproduto que vem como decorrência. Sem compromisso não há felicidade.

Casamento sem conflito - um mito
Mesmo que seu comprometimento para com seu marido ou esposa seja total, haverá momentos de irritação, impaciência, discussão e lágrimas.

É mais fácil desistir do que investir
Quando o casal desiste, leva consigo do primeiro casamento as incompreensões, mágoas e incoerências. Elas, por certo, aparecerão de alguma forma na segunda tentativa.

Direitos entregues - não exigidos
Num dia-a-dia onde a auto-satisfação é exarcebada, entregar os próprios direitos ao cônjuge soa esquisito. Quando forço meu cônjuge a agir do modo que quero, sempre saio perdendo. Porém, se voluntariamente abro mão, reconheço minha falha e dou espaço para que o outro coloque seu parecer, recebo em troca uma reação semelhante.

Seja comprometido com seu casamento. Seja comprometido com seu cônjuge. Sem isso seu casamento não se sustenta.

 

Deixar

O “deixar” é muitas vezes ignorado pelos casais. Às vezes por ignorância sobre o assunto, outras propositalmente. A ligação que temos desde que nascemos com nossos pais deve ser mudada. O cordão umbilical precisa ser cortado. E aqui começa a confusão.

Muitos acham que esse “deixar” significa cortar contato, ou abandonar. Não é disso que trata o assunto. Vamos ver que áreas precisam desse corte.

Deixar físico ou geográfico
Aqui deve ficar claro o seguinte: não more com seus pais. Tenha sua própria casa, seu próprio lar. Se você não tem condições financeiras para morar numa casa só de vocês, então espere um pouco mais antes de casar. Muitos problemas vão ser evitados com essa atitude.

Deixar financeiramente
Depois de casados não devem continuar dependendo financeiramente dos pais e dos sogros. Conseqüência disso pode ser a manipulação por parte dos pais e sogros, tolhendo a liberdade do casal. Outra conseqüência provável pode ser a sensação de incapacidade que o homem recém-casado de exercer o papel de “provedor” do sustento da nova família e sua auto-imagem fique prejudicada.

Deixar emocionalmente
Os filhos se desligarão também emocionalmente dos pais que, geralmente, sempre lhes deram amor, carinho e proteção. Se isto não ocorrer, o “unir-se” será prejudicado. Isto não é simples.

Deixar espiritualmente
O homem tem como missão no casamento ser o sacerdote dentro do seu lar, isto é, conduzir espiritualmente a família.

União e unicidade

Quando falamos em união evidentemente falamos de um relacionamento sexual saudável dentro do casamento. Mas não é só isso. Um casamento também precisa prover auto-realização, isto significaria encontrar no casamento todas as almejadas experiências. É sentir-se amado, valorizado, e ter espaço para crescer em suas potencialidades.

“Tornar-se os dois uma só carne” abrange as áreas física, emocional e espiritual.

Espero que todos entendam que o casamento não é algo para se entrar sem conhecimento prévio das suas implicações. Mas caso você tenha se casado sem esse conhecimento, tenha em mente que você pode fazer com que ele seja bom, basta ter vontade, persistência e amor. Siga a receita dada por Deus no primeiro livro da Bíblia e seu casamento será um sucesso, gerando felicidade para os cônjuges e filhos.

(1) Conviver: viver em proximidade; ter convivência; ter relações cordiais; dar-se bem.

Escrito por Eliseu Schmidt






 

LogoAssembléia de Deus Parque São Bernardo - Ministério São Bernardo do Campo - Situada na rua: Paula Souza, 220 - CEP: 09761-180 - Parque São Bernardo - SBC - São Paulo

  Site Map